9 de outubro de 2007

Eu decido!

Neste mundo sofredor e tão marcado por tragédias, doenças e infelicidade, não é por acaso que vemos pessoas com problemas parecidos terem uma vida tão diferente.
Tudo depende do que eu decido pra minha vida.
Posso decidir me lamuriar, me achar a coitadinha, ter pena de mim, não acreditar em mais nada de bom, pensar que nada vai dar certo, achar que a dorzinha de cabeça deve ser um tumor, não acreditar mais nas pessoas, ser deprimentemente uma péssima companhia e ir cavando meu próprio abismo. Posso fazer orações ao meu Deus, que é soberano e pode todas as coisas, com fé, com palavras de filho pra Pai, ou posso conversar com Ele murmurando, sendo aquela pessoa insuportável que só sabe reclamar da vida " oh vida! oh céus!"
Eu decido!
Eu decido se ao acordar vou agradecer a Deus pelo muito que tenho, ou reclamar pelo pouco que ainda me falta. Se vou glorificar a Deus só quando eu tiver tudo do meu jeitinho, ou se em tudo que já tenho (inclusive as lutas, que são o que me fazem crescer!) vou glorificar ao único que é digno de receber honra e glória, pois ter força e poder.
Eu decido fazer a obra de Deus agora, contar aos outros a transformação que Ele tem feito em meu carater, ou se algum dia. Se o meu testemho hoje será de nova criatura, ou só quando eu estiver velha, e não tiver mais o que aproveitar da vida! Quando em fim, nem forças terei para obedecer o ide do Senhor.
Eu decido se vou revidar o mau humor, a falta de compreensão, a maledicência, as armações, as traições, as rasteiras e tudo o mais de ruim que as pessoas a minha volta me fazem, ou se vou tratá-las com o amor que Jesus nos ensimou. "Amai ao próximo como a si mesmo."
Eu decido se vou continuar esse círculo vicioso de maldade e falsidade ou se vou parar tudo!
Parar tudo e ser diferente! Mostrando compaixão, tendo o coração parecido com o de nosso Mestre enquanto é tempo.
Sim, enquanto é tempo. Pois os dias têm se abreviado...
Escutei, neste domingo, o testemunho de uma jovem que, perdeu a mãe há alguns anos devido a um câncer que a mutilou e foi correndo todo seu corpo, essa senhora sofria fortes dores e dependia das filhas para todas as suas necessidades. Mesmo assim, não se lamuriou, nem desanimou, e a todos que a visitaram ela falou do qual maravilhoso é ser sustendada pelo Senhor. Passava todo o dia entoando louvores e convidando a todos que a acompanhassem na adoração a Deus. Os que a visitaram saíam de lá motivados, vendo o cuidado do Senhor. Pois como podia, naquela situação louvar? Agradecer? Falar do amor do Pai para com ela e com todos?
Ela tinha decido que não viveria seus problemas! Sabia que não tinha muito tempo e o que fez foi viver a vida louvando e agradecendo ao Senhor por TUDO.
E você? Decidiu viver seus problemas ou sua vida?
Eu decido viver a minha vida em abundância!
Não existe vitória sem lutas!
E vou passar pelas lutas crendo que o meu Deus é soberano!
E que em todas as coisas Ele me faz vencedor!

Um comentário:

Franciely disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Usamos empresas de publicidade de terceiros para veicular anúncios durante a sua visita ao nosso website. Essas empresas podem usar informações (que não incluem o seu nome, endereço, endereço de e-mail ou número de telefone) sobre suas visitas a este e a outros websites a fim de exibir anúncios relacionados a produtos e serviços de seu interesse. Para obter mais informações sobre essa prática e saber como impedir que as empresas utilizem esses dados, clique aqui.